Morreu o empresário Norberto Odebrecht, fundador de um dos maiores grupos de engenharia do Brasil

Fonte: PetroNotícias

O fundador e presidente de honra da Organização Odebrecht, engenheiro Norberto Odebrecht, faleceu aos 93 anos neste fim de semana, em Salvador, na Bahia. Nascido em Recife (PE), em 1920, ele fundou em 1944 a Construtora Norberto Odebrecht, hoje uma das maiores do Brasil, e que já ultrapassou as fronteiras nacionais, com atuação em 23 países e quase 200 mil Integrantes.

O engenheiro, formado pela Escola Politécnica de Salvador, foi um dos homens de grande importância para a história da engenharia brasileira. Sua empresa, que com os anos se transformou em um enorme conglomerado, esteve presente em boa parte das grandes obras do país.

Inicialmente, as atividades se concentraram na Bahia e, a partir de parcerias com a Petrobrás e a Sudene (Superintendência para o Desenvolvimento do Nordeste), a empresa abriu caminho para operar em outros estados da região. Durante os anos 60, Norberto expandiu e nacionalizou a construtora, diversificou sua atuação na década seguinte e iniciou a internacionalização de seus negócios.‎

Além das atividades econômicas do grupo desenvolvido por Norberto, uma outra instituição de importância teve origem em seus atos. Em 1965, ele criou a Fundação Odebrecht, que atualmente apoia projetos de desenvolvimento social no Baixo Sul da Bahia. Além disso, em 1968, deu início à sistematização de seu conhecimento adquirido, publicando diversos livros: “De que Necessitamos” (1968), “Pontos de Referência” (1970), “Sobreviver, Crescer e Perpetuar” (1983), “Educação pelo Trabalho” (1991). A obra “Sobreviver, Crescer e Perpetuar” sistematizou a chamada Tecnologia Empresarial Odebrecht, com os princípios, conceitos e critérios adotados pela Organização em sua atuação.

Aos 71 anos, em 1991, Norberto passou a presidência da Odebrecht S.A. ao filho Emílio Odebrecht. O fundador da Organização se tornou então presidente do Conselho de Administração, cargo que mais adiante o filho Emílio assumiu, em 1998. Desde então, era o presidente de honra da Odebrecht S.A., além de presidente do conselho de curadores da Fundação Odebrecht e membro da Academia Nacional de Engenharia.

Atualmente, seu filho Emílio Odebrecht segue na presidência do Conselho de Administração da Odebrecht S.A. e seu neto Marcelo Odebrecht é o diretor-presidente da Organização Odebrecht.

Em nota, o governador da Bahia, Jaques Wagner, lamentou a morte do empresário. ”Os baianos se entristecem com a morte desse grande homem cujo espírito empreendedor foi enriquecido por uma ampla visão social”.